Usina lacrada pela Feam funciona normalmente e dá o cano em ex-funcionários

Usina Araguari. Foto: Site do SIMA.Repercutiu muito em nossa região quando a Usina Planalto Agroindustrial decretou falência em 2012 e dispensou os trabalhadores que já estavam com os salários atrasados e não receberam direitos trabalhistas. Essa usina de álcool estava localizada no município de Ibiá, mas a maioria dos funcionários era araxaense. Pois bem, o tempo passou e em junho do ano passado a Usina Araguari começou a operacionalizar a mesma destilaria de álcool, substituindo a falida Planalto. Mudaram mesmo só o nome e os donos, pois as reclamações continuam as mesmas. A usina não poderia estar funcionando, já que foi lacrada pela Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam). Porém, a usina opera normalmente.

 

Usina Araguari. Foto: Site do SIMA.Conversei com ex-funcionários da usina Araguari, que foram demitidos recentemente, e eles me relataram que saíram de lá com uma mão na frente e outra atrás. Além de receberem apenas a metade de seus salários nos três meses que trabalharam na usina, não foi feito o acerto rescisório com eles após as suas demissões. Segundo os trabalhadores, um diretor da empresa chamado Cleiton lhes disse para procurarem os seus direitos trabalhistas na Justiça. E isso é uma prática muito comum na usina, de acordo com os trabalhadores. Pessoas são contratadas e demitidas depois de 90 dias de trabalho sem nem sequer realizarem o exame demissional.

 

Usina Araguari. Foto: Site do SIMA.Existe um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre o Ministério Público de Ibiá e a Usina Araguari que determina a regularização das obrigações trabalhistas da empresa. Porém, os ex-funcionários me garantiram que esse TAC não está sendo cumprindo. Os trabalhadores afirmaram que a usina deve dinheiro para muita gente em Araxá e região, inclusive na semana passada um oficial de Justiça esteve lá confiscando um trator avaliado em R$ 80 mil para o pagamento de uma das dívidas. Além das questões trabalhistas, os trabalhadores denunciam que não existe técnico de segurança na empresa, que também não fornece os equipamentos de proteção individual (EPIs).

 

Usina Araguari.A usina chegou a ser lacrada pela Feam por problemas ambientais, mas os ex-funcionários me contaram que isto não impede o seu funcionamento. Eles relataram que funcionários retiram uma determinada válvula do equipamento lacrado, depois retiram o lacre sem danificá-lo e moem a cana de açúcar normalmente. No fim do expediente o lacre é recolocado, assim como será se aparecer uma fiscalização na usina. Os problemas ambientais não foram sanados e outros surgiram. Embalagens de herbicidas que deveriam passar por uma lavagem tríplice antes de serem devolvidas, conforme determina a legislação, estão amontoadas em um cômodo que serve de depósito.

 

Usina Araguari.Ainda segundo os ex-funcionários, o descarte da vinhaça da cana de açúcar não é feito de maneira correta na usina e isto é prejudicial ao meio ambiente. Vinhaça é o resíduo pastoso e malcheiroso que sobra após a destilação fracionada do caldo da cana de açúcar fermentado, para a obtenção do etanol. Para cada litro de álcool produzido, 12 litros de vinhaça são deixados como resíduo. Uma água escura proveniente do processo de moagem da cana de açúcar escorre pela usina, conforme mostram algumas fotos deste post, até atingir um curso d’água existente no local. Hoje o Ministério Público de Ibiá recebeu todas as denúncias contidas neste post. Alguma coisa precisa ser feita com urgência para impedir os danos ambientais causados pela usina e também para garantir os direitos dos ex-funcionários, que vão acionar a Justiça do Trabalho.

Usina Araguari.

This entry was posted in +, Denuncia, Meio Ambiente, Opinião. Bookmark the permalink.

5 Responses to Usina lacrada pela Feam funciona normalmente e dá o cano em ex-funcionários

  1. gustavo disse:

    Elis sacaniarao todo mundo agora elis e q si
    Esplodao com o nosso movimento sem terra.
    Tamo la na ativa,:

  2. Maria do Carmo disse:

    Usineiros trazem muito mais malefícios do que benefícios para as cidades. Doenças, danos ao meio ambiente e problemas sociais com a exploração de empregados vindos de regiões mais carentes do país são apenas alguns dos desastres que essas usinas de álcool e açúcar provocam nas cidades em que se instalam. Cientes disso, os prefeitos deveriam impedir que empresas desse tipo se fixassem no município. Mas deve correr dinheiro a rodo nessas negociações, então… o povo que se exploda!

  3. Meire disse:

    Esses usineiros que atuam na usina araguari não passa de um bando, os trabalhadores trabalha para encher os bolsos dos diretores, mereciam estarem preços.

  4. FRANCO disse:

    Os usineiros historicamente sempre foram picaretas, porque é que esses devessem ser diferentes.
    Agora que eles trouxeram um tremendo maleficio trouxeram, afinal o que eles buscaram de nordestinos para cortar cana é brincadeira, isso sem pensar na qualificação profissional desses profissionais e o que estamos presenciando é drogas e álcool com fartura.

  5. Hilton disse:

    Existe uma coisa muito fácil a se fazer nessa usina para resolver todo esse problema: abram as contas dessa empresa, paguem as dívidas trabalhistas e coloquem a usina sobre controle dos trabalhadores. Para quê patrão em uma hora dessas mesmo? Só serve para poder dar o cano em quem precisa trabalhar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>