#prontofalei – Não se conserta um erro com outro

O assunto mais comentado nesta semana no Brasil foi a interrupção da gravidez de uma menina de 10 anos de idade que foi estuprada pelo tio. O aborto foi autorizado pela Justiça. A legislação brasileira permite o aborto quando há risco para a vida da mulher e se a gravidez for proveniente de estupro. Em 2012, o Supremo Tribunal Federal decidiu que grávidas de fetos sem cérebro também podem optar por interromper a gestação com assistência médica. Portanto, o aborto da menina estuprada pelo tio foi feito dentro da lei dos homens. A garota estava grávida de cinco meses.

 

O mal que o tio causou à sua sobrinha é irreparável. É um crime monstruoso. A menina era estuprada desde os seis anos de idade. É muito triste saber que uma criança tenha sofrido tanto nas mãos de alguém que deveria protegê-la. Porém, não se pode tentar consertar um erro cometendo outro. O aborto não vai apagar o trauma dessa menina. O feto de cinco meses, na verdade, já era um ser humano. Já tinha alma. A vida começa na concepção. Infelizmente o bebê foi assassinado. A menina de 10 anos não teve culpa nenhuma pelo aborto. Ela é vítima de um tio covarde e repugnante. A garota ainda não tem discernimento para entender tudo o que aconteceu.

 

Entendo perfeitamente que a menina não tinha nenhuma condição de ser mãe e que ela não queria o bebê de jeito nenhum. É apenas uma criança de 10 anos. Mas, assim que viesse ao mundo, o bebê poderia ser disponibilizado para adoção. Não faltariam famílias dispostas a adotar um recém-nascido e criá-lo com muito amor. Nos quatro meses que restavam para o fim da gravidez, a menina poderia ser acompanhada por uma equipe formada por médicos e psicólogo. Poderiam ter preservado a vida do bebê. Mas não foi assim. A vida de um ser humano foi brutalmente interrompida.

 

É tudo muito triste nesta história. O estupro, o aborto, a exposição ilegal da menina de 10 anos e o uso político que fizeram deste caso no decorrer da semana. Alguns fanáticos de redes sociais condenaram a menina pelo aborto. Quanta estupidez. A menina é uma vítima, assim como o bebê que ela carregava no ventre. Agora a garota precisa de acompanhamento psicológico e da rede de proteção à criança para retomar a sua vida. Espero que ela consiga superar tanto sofrimento e ser feliz. E lamento a morte do bebê, que também poderia ter uma vida feliz. #AbortoNão

 

Coluna #prontofalei publicada na edição nº 3828 do jornal Correio de Araxá em 22 de agosto de 2020

 

This entry was posted in #prontofalei. Bookmark the permalink.

Comments are closed.