#prontofalei – Muito ajuda quem pouco atrapalha

Existem determinadas situações que eu, sinceramente, não entendo. Domingo passado foi o Dia dos Pais. Uma das principais datas para o comércio. Na véspera foi feriado em Araxá, pois era o dia do padroeiro São Domingos de Gusmão. Mesmo sendo feriado, a expectativa era que o comércio funcionasse no sábado, pois muita gente não conseguiu comprar o presente para os pais no decorrer da semana por causa do trabalho. Devido à pandemia do novo coronavírus, não houve horário especial de funcionamento do comércio durante a semana. Porém, o comércio não abriu no sábado. Um ou outro comerciante abriu sua loja com a ajuda de familiares, mas o movimento foi muito baixo, já que o fechamento do comércio foi noticiado pela imprensa.

 

De acordo com o Sindicato do Comércio de Araxá (Sindicomércio), a abertura do comércio na véspera do Dia dos Pais não foi possível porque o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio Varejista da nossa cidade não autorizou o trabalho dos empregados. Uma situação totalmente fora da realidade que estamos vivendo por causa da pandemia. Quem der uma volta pelo Centro de Araxá vai perceber que alguns estabelecimentos comerciais fecharam as portas desde o início da pandemia. Isso significa que comerciantes quebraram e seus funcionários ficaram desempregados. E, obviamente, essa situação causa um impacto negativo na economia da cidade.

 

O comércio de Araxá teve que ficar de portas fechadas por um tempo no início da pandemia, reabriu funcionando apenas em meio período, fechou novamente quando o estoque de medicamentos de sedação era baixo na cidade e só voltou a funcionar aos sábados no último dia 1º de agosto. As vendas para o Dia das Mães ficaram abaixo das expectativas por causa da pandemia. Os comerciantes tiveram que realizar protestos para defender a sobrevivência dos seus negócios, que geram renda e empregos para a nossa cidade. Diante desse quadro, não tem o menor cabimento o comércio ter ficado fechado na véspera do Dia dos Pais.

 

Estamos vivendo tempos muito difíceis em virtude da pandemia. Se eu fosse empregado do comércio teria pedido para trabalhar no último sábado, pois a expectativa era de vendas melhores no feriado por causa do Dia dos Pais. Nenhuma loja consegue sobreviver se não vender. Se o patrão quebrar, o funcionário perde o seu emprego. E todos nós sabemos que não está fácil conseguir emprego em Araxá neste momento de turbulência. O comércio perdeu uma boa oportunidade de melhorar um pouco as suas vendas neste mês. E tudo por causa da falta de bom senso de alguns. Muito ajuda quem pouco atrapalha. Não é momento de disputas. É preciso ter diálogo. A união de patrões e empregados é necessária para a preservação de postos de trabalho no comércio local. Fica a dica. #ComércioAraxá

 

Coluna #prontofalei publicada na edição nº 3827 do jornal Correio de Araxá em 15 de agosto de 2020

 

This entry was posted in #prontofalei. Bookmark the permalink.

Comments are closed.