#prontofalei – Família em primeiro lugar

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso assumiu, nesta semana, a presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) descartando adiar as eleições municipais para 2021 e afirmando que os atuais mandatos de prefeitos e vereadores não serão prorrogados. Enquanto isso, o Congresso Nacional já debate o adiamento do pleito municipal em virtude da pandemia do coronavírus. Duas datas estão sendo discutidas: 15 de novembro e 6 de dezembro, sendo que esta última tem a preferência de grande parte dos congressistas. Porém, a Procuradoria-Geral Eleitoral (PGE) se manifestou ao TSE a favor do não adiamento das eleições. Para a PGE, as eleições municipais têm que ser realizadas em 4 de outubro.

 

Este cenário de incertezas preocupa grande parte dos pré-candidatos que não sabe como proceder diante de um calendário eleitoral totalmente indefinido. Por outro lado, a população está cada vez menos interessada nas eleições deste ano diante do quadro assustador do aumento das mortes por coronavírus no país. O eleitorado de Araxá está muito mais preocupado, neste momento, com o crescimento registrado nesta semana dos casos confirmados da Covid-19 em nossa cidade do que em quem votar para prefeito e vereador. As tradicionais especulações da população sobre os nomes de possíveis postulantes ao cargo ocupado pelo prefeito Aracely de Paula foram substituídas por discussões sobre as ações e deliberações do Comitê de Enfrentamento à Covid-19.

 

Os bastidores da política local esfriaram por causa do avanço do coronavírus em Araxá. Novidade mesmo só a nomeação da ex-secretária municipal de Governo, Lucimary Ávila, como assessora no gabinete do prefeito. Como ela é considerada o braço direito de Aracely na Prefeitura desde 2014, a única explicação lógica para que tenha sido rebaixada de cargo é que, como assessora, Lucimary poderá ficar mais um mês na Administração Municipal antes de ter que se desincompatibilizar do cargo para compor uma chapa majoritária como candidata a prefeita ou vice. Como secretária municipal, ela teria que deixar o governo até a próxima quinta-feira, 4 de junho. Como assessora, Lucimary tem agora até o dia 4 de julho. Essa nomeação é um indício de que a candidatura da ex-secretária não está descartada.

 

Encerro esta coluna prestando minha homenagem a uma das melhores pessoas que conheci na vida. O último sábado, 23 de maio, foi um dia muito triste. Dia em que Givago Meneses nos deixou, precocemente, aos 35 anos de idade. Tive o privilégio de trabalhar com Givago por alguns anos na extinta Rádio Cidade AM. Ele era um dos operadores de áudio da emissora. Era sempre muito bom tê-lo no comando da central técnica. Rapaz calmo, educado e muito inteligente. Nunca o vi levantar a voz para ninguém. Formou-se em Direito conciliando o trabalho com os estudos. Tinha um amor incondicional por sua família. Ele partiu deixando a avó Abadia, a mãe Dora, a esposa Camila e os filhos Yuri, Maria Alice e Aquiles. Três lindas crianças que são as suas sementes neste mundo. Ainda não caiu a ficha de que um ser humano ímpar como Givago tenha partido assim de repente. Quem teve a honra de conviver com ele, como eu tive, guardará na lembrança o sorriso fácil de quem sempre colocou a família em primeiro lugar. #DescanseEmPaz

 

Coluna #prontofalei publicada na edição nº 3816 do jornal Correio de Araxá em 30 de maio de 2020

 

This entry was posted in #prontofalei, Destaques. Bookmark the permalink.

Comments are closed.