#prontofalei – Filiações partidárias definidas para a eleição municipal

Terminou no último dia 4 de abril o prazo para filiações partidárias visando a eleição municipal deste ano. Todos que pretendem ser candidatos estão filiados em partidos políticos. Quem não se filiou dentro do prazo não pode se candidatar. Araxá já tem alguns pré-candidatos a prefeito até o momento. A vice-prefeita Lídia Jordão permaneceu no Patriota, partido pelo qual concorreu a uma vaga na Assembleia de Minas nas eleições gerais de 2018. O deputado estadual Bosco continua no partido onde está desde que foi eleito pela primeira vez à Assembleia em 2010, o Avante.

 

A jornalista e pré-candidata a prefeita Ana Paula Machado se filiou ao PROS, enquanto que o empresário Sérgio Furtado assinou a sua ficha de filiação ao PSL. O ex-vereador Mauro Chaves, candidato a prefeito em 2016, deixou o Avante e foi para o Republicanos. O partido Novo já tinha anunciado que o seu pré-candidato a prefeito é o empresário Emílio Neumann. A novidade foi o anúncio de que o filiado Marcos Amaral é o pré-candidato a vice-prefeito do partido do governador Romeu Zema. Um nome que começou a ser ventilado nos bastidores da política local como pré-candidato a prefeito é o do empresário Sérgio Chaer, que permanece filiado ao PTB.

 

Ex-vice-prefeito de Araxá, o advogado Eustáquio de Lima é apontado como postulante ao cargo de chefe do Executivo pelo PT, partido em que está filiado desde o início da sua militância política. O vereador Robson Magela, também pré-candidato a prefeito, se filiou ao Cidadania. Já o ex-prefeito Antônio Leonardo Lemos Oliveira (Toninho) não se filiou a nenhum partido político e, por isto, não disputará a eleição municipal deste ano. Toninho nunca se colocou como pré-candidato a prefeito, mas a boa aprovação que teve ao final de oitos anos no comando da Prefeitura de Araxá, de 2001 a 2008, fez com muita gente torcesse para que ele fosse candidato novamente.

 

A janela partidária, que permitiu que vereadores trocassem de partido, fez com que algumas legendas desaparecessem da Câmara Municipal de Araxá e outras ganhassem espaço. Solidariedade, Democratas, Podemos e PMB não têm mais nenhum representante no Legislativo. Já o Cidadania, PSD, PMN e PROS, que não elegeram nenhum vereador em 2016, passaram a ter representantes na Casa do Povo. O Solidariedade perdeu os vereadores Roberto do Sindicato, presidente da Câmara, e Raphael Rios. Roberto se filiou ao PMN e Raphael ao Cidadania. A vereadora Fernanda Castelha deixou o PSL e, assim como Roberto, também se filiou ao PMN.

 

Depois de perder os vereadores Robson Magela e Fabiano Santos, o Republicanos recebeu a filiação do vereador Fárley Cabeleireiro, que saiu do Democratas. Fabiano se filiou ao PSD. O vereador Luiz Carlos trocou o Podemos pelo PSL, enquanto que seu colega Ceará da Padaria deixou o PMB para se filiar ao PROS. Os demais vereadores permaneceram nos mesmos partidos pelos quais foram eleitos em 2016: Bosco Júnior e Adolfo Segurança no Avante, Garrado e Alexandre dos Irmãos Paula no PL, Hudson Fiuza no PSL, Zezinho da Aserpa no PT e Edinho Souza no PTB.

 

Com a nova composição partidária da Câmara Municipal, os partidos Avante, Cidadania, PSL, PMN e PL têm dois vereadores cada. Republicanos, PSD, PT, PROS e PTB têm um vereador cada. Com o fim das coligações nas eleições proporcionais, os partidos políticos já definiram as suas chapas de pré-candidatos a vereador para o pleito do próximo dia 4 de outubro. Até o início das convenções, no final de julho, as legendas definirão as chapas majoritárias. As coligações na eleição para prefeito ainda são permitidas. A expectativa é que Araxá tenha quatro ou cinco candidaturas concorrendo ao cargo ocupado pelo prefeito Aracely de Paula. #Eleições2020

 

Coluna #prontofalei publicada na edição nº 3809 do jornal Correio de Araxá em 11 de abril de 2020

 

This entry was posted in #prontofalei, Destaques. Bookmark the permalink.

Comments are closed.