Decisão do STF a favor dos mensaleiros me faz ter vergonha de ser brasileiro

O Supremo Tribunal Federal (STF) deu um tapa na cara dos brasileiros que ainda acreditavam que a Justiça era para todos em nosso país. Não é. Ontem o ministro Celso de Mello se juntou aos cinco ministros que já haviam deixado claro para o Brasil inteiro que aqui os ricos, políticos e poderosos podem roubar o tanto que quiserem, pois nunca serão punidos. A impunidade venceu por 6 a 5. Agora doze condenados do Mensalão terão um novo julgamento, que pode se arrastar por mais dois anos. Alguns crimes podem até prescrever durante o novo julgamento e certamente as penas dos condenados serão reduzidas, afinal os dois novos ministros já se mostraram simpáticos aos mensaleiros. É triste afirmar isto, mas cadeia no Brasil foi feita somente para os pobres.


Os ministros que votaram a favor de um novo julgamento para os mensaleiros e envergonharam o Brasil foram Ricardo Lewandowski, Rosa Weber, Dias Toffoli, Celso de Mello, Luís Roberto Barroso e Teori Zavascki, sendo que os dois últimos são novatos e foram indicados pela presidente Dilma Rousseff, do PT, o partido de diversos condenados que agora ganharam uma segunda chance. Aliás, é bom lembrar que Dias Toffoli foi advogado do PT e assessor do ex-ministro José Dirceu na Casa Civil. Dirceu foi apontado como o chefe da quadrilha do Mensalão e condenado no primeiro julgamento a 10 anos e 10 meses de prisão em regime fechado. Guardem bem os nomes desses seis ministros, que acabam de entrar para a História do Brasil pela porta dos fundos.


Cinco ministros ainda tentaram salvar a honra do STF votando contra um novo julgamento para os condenados do Mensalão. Esses sim merecem o nosso respeito e as nossas considerações. Os ministros que votaram contra a impunidade para ricos, políticos e poderosos foram Luiz Fux, Carmem Lúcia, Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello e Joaquim Barbosa, que lembrou ao proferir o seu voto que Justiça que tarda não é Justiça. Concordo e digo mais, a Justiça no Brasil não enxerga os pobres. Pessoas comuns que não têm condições de contratar advogados com honorários milionários nunca terão as regalias jurídicas reservadas somente aos poderosos endinheirados. As leis brasileiras permitem recursos infinitos para garantir a impunidade de quem tem dinheiro e poder.


Ladrão é ladrão. Não importa se rouba R$ 1 ou R$ 1 milhão. Porém, para a Justiça Brasileira o ladrão que merece ir pra cadeia é aquele que rouba galinhas e não aquele que embolsa milhões de reais do dinheiro público causando a morte de enfermos nas filas dos hospitais ou de pessoas que adquirem doenças devido à falta de saneamento básico. Ladrão que rouba milhão no Brasil é tratado a pão de ló. As leis no nosso país foram feitas para não punir os poderosos e nem poderia ser diferente, afinal são os deputados e senadores que fazem as leis. O Brasil é o país da impunidade. Aqui quem trabalha de sol a sol nunca teve e nunca terá os mesmos privilégios dos criminosos do colarinho branco, que são bajulados por quem deveria puni-los severamente por seus crimes. Hoje acordei com vergonha de ser brasileiro.

This entry was posted in Política. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *