Robson Magela sugere a criação de uma clínica pública para tratamento de dependentes químicos em Araxá

O vereador Robson Magela sugeriu a criação de uma clínica pública municipal para tratamento de dependentes químicos em Araxá ao usar a tribuna na reunião ordinária da Câmara Municipal da última terça-feira, dia 1º. O parlamentar tratou da situação dos moradores de rua que ficam na praça Antônio Alves da Costa, no entorno do Terminal Rodoviário. Robson relatou os transtornos que essas pessoas estão causando e destacou a necessidade da Prefeitura de Araxá oferecer um tratamento para elas.

 

Robson relatou que os moradores de rua do entorno do Terminal Rodoviário continuam causando transtornos nas clínicas de saúde existentes no local. “Pacientes, médicos, funcionários e proprietários das clínicas estão reclamando bastante do comportamento dessas pessoas que ficam na praça usando bebidas alcoólicas e drogas. Eles entram nas clínicas e abordam os pacientes pedindo dinheiro, sendo que quando não são atendidos eles ficam bastante agressivos, xingam e até cospem nas pessoas. E esses moradores de rua têm esse mesmo comportamento com as pessoas que passam pela praça da rodoviária”, informou o parlamentar.

 

O vereador salientou que os moradores de rua são seres humanos que enfrentam sérios problemas com bebidas e drogas e por isto necessitam de tratamento. Ele informou que algumas pessoas estão tentando ajudá-los, mas lembrou que a responsabilidade de buscar um tratamento para eles é da Prefeitura Municipal. “Parte desses moradores de rua é daqui mesmo de Araxá. Um tratamento adequado é a oportunidade que eles terão de recuperar a dignidade. E isso também acabará com os transtornos que eles causam na região da rodoviária. É um grave problema social e a Prefeitura precisa providenciar o tratamento para essas pessoas”, disse ele.

 

Robson ainda sugeriu que seja criada em Araxá uma clínica pública municipal para tratamento de dependentes químicos. “O que é mais importante, construir viadutos ou recuperar seres humanos? A Prefeitura poderia criar uma clínica pública para tratamento de dependentes químicos para atender homens e mulheres. As clínicas que existem na cidade são particulares e muitas famílias não têm condições de pagar as mensalidades. A vida humana tem que ser prioridade para todo gestor público, principalmente aquelas que estão em situação de risco”, finalizou o vereador.

This entry was posted in Cidade, Política. Bookmark the permalink.

Comments are closed.