#prontofalei – É preciso pensar no futuro de Araxá

Março chegou e trouxe com ele o Carnaval, que neste ano não quis saber de fevereiro. Aqui em Araxá a dúvida era se o comércio abrirá ou não na terça-feira de Carnaval, que foi feriado municipal de 2015 até o ano passado quando o Sindicomércio resolveu implicar com a data e conseguiu suspendê-la por meio de decisão judicial. Carnaval nunca foi feriado nacional como muitos pensam. Sempre foi ponto facultativo. E assim como acontece desde que me entendo por gente o comércio não funcionará na terça-feira. Ou seja, tudo como dantes no quartel de Abrantes.

 

Pelo terceiro ano consecutivo não teremos o desfile das escolas de samba em Araxá. Esse desfile sempre aconteceu graças aos recursos repassados pela Prefeitura, pois as escolas de samba nunca conseguiram arcar com as despesas. Os tempos são outros e dificilmente veremos o poder público bancando esse desfile novamente. E não digo apenas na atual administração, mas nas próximas também. Sendo assim, as escolas de samba terão que realizar ações para levantar seus próprios recursos se quiserem voltar a desfilar na avenida nos próximos anos.

 

O que vai predominar em Araxá neste ano serão os desfiles dos blocos carnavalescos. No ano passado eram apenas dois, Filhos de Beja e Subaco do Cristo, que agitaram o Carnaval em nossa cidade sem gastar nenhum centavo de dinheiro público. Nesse ano este número já subiu para seis. Os blocos desfilam nos cinco dias de festa. As concentrações dos blocos acontecem no meio da tarde e a dispersão por volta das 22 horas. As pessoas desfilam fantasiadas ou com os abadás dos blocos. A criançada pode se divertir nos blocos, pois impera o ambiente familiar. São famílias e amigos se divertindo.

 

O futuro do Carnaval de Araxá está diretamente ligado aos blocos. Desfiles de escolas de samba dificilmente atraem turistas para a nossa cidade. Já os blocos carnavalescos têm potencial para movimentar o turismo do município. Os hotéis podem vender pacotes para o Carnaval já incluindo o abadá para que o turista tenha o seu lugar nos blocos e possa se divertir em um ambiente agradável. Araxá já foi famosa pelos bailes de Carnaval nos salões do Grande Hotel do Barreiro. Quem sabe agora, com os blocos, a nossa cidade não volte a ser o destino de muitos turistas durante os dias da festa do Rei Momo.

 

Falando em turismo, Araxá precisa fomentar o setor pensando no futuro. A principal atividade da nossa cidade é a mineração. Porém, é uma atividade que tem data de validade. A mina da Mosaic Fertilizantes, por exemplo, já está no fim e daqui a dez anos encerrará as suas atividades. Muitas demissões já aconteceram. Outras acontecerão. Só não houve mais desemprego por causa do minério que vem diariamente de Patrocínio, por linha férrea, para ser processado na Mosaic em Araxá. Além de gerar empregos, a mineração é responsável por grande parte da receita do município.

 

Araxá não pode ficar mais tão dependente da mineração. É preciso diversificar. A cidade tem um enorme potencial turístico e isto precisa ser devidamente explorado. Estamos em uma região belíssima que oferece inúmeras opções para os turistas. A nossa cidade tem museus, o Parque do Cristo, a Estância do Barreiro e outros pontos turísticos. Os doces e queijos de Araxá são apreciados nacionalmente. Temos grandes eventos como o Fliaraxá, a Copa Internacional de Mountain Bike e o Encontro de Carros Antigos que atraem muitos turistas.  

 

Tudo isso tem que ser transformado em renda para o nosso município. Araxá precisa investir pesado na indústria do turismo. Toda a população precisa estar envolvida para fazer da nossa cidade um destino turístico que seja bastante procurado. As pessoas precisam entender a importância de tratar bem o turista. Eu sempre cito o exemplo de Poços de Calas, onde estive várias vezes transmitindo jogos do Araxá Esporte. Seja no comércio ou em qualquer lugar, a população de Poços de Caldas trata os turistas tão bem e com tanto carinho que a maioria tem vontade de visitar a cidade novamente.

 

Quem poderia investir no fomento do turismo de Araxá é a Codemig, afinal é o nióbio extraído do solo da nossa cidade que enche os cofres desta empresa estatal. Já que ficamos com os buracos da mineração, nada mais justo do que a cidade receber investimentos em uma atividade que pode mantê-la no futuro. Porém, a Codemig sempre tratou Araxá com desprezo. Basta ver a Vila do Artesanato construída agora no Barreiro. Desperdiçaram R$ 2,5 milhões para fazer uma obra que não atende a sua finalidade de proporcionar um local digno para os artesãos trabalharem. Ficou uma tremenda porcaria. E a praça que fizeram onde era a rotatória na entrada do Barreiro? Poucas vezes vi algo tão mal feito na minha vida.

 

Quando digo que o próximo presidente da Codemig tem que ser araxaense não é para que Araxá seja privilegiada em relação aos demais municípios mineiros. É para que a nossa cidade seja respeitada. Essa Vila do Artesanato é um desrespeito com os artesãos da cidade. Como araxaense e tendo a sua família morando aqui, o governador Romeu Zema tem que honrar os votos que recebeu em massa dos seus conterrâneos e colocar um profissional competente de Araxá na presidência da Codemig. Certamente a Vila do Artesanato não seria feita de qualquer jeito se alguém daqui estivesse no comando.

 

Nesta semana foi noticiado que o nome cotado para a presidência da Codemig é o de um sujeito que foi ex-presidente da Samarco, a mineradora da tragédia de Mariana. Prefiro aguardar uma posição oficial do Governo de Minas antes de comentar. Espero não ter que dizer aqui que me arrependo do meu voto. Araxá é uma cidade abençoada por Deus pelo povo que tem e por suas belezas naturais. Temos que pensar no futuro. Não podemos ficar parados no tempo. Diversificar as atividades do município é garantir um futuro melhor para nossos descendentes. Investir no turismo é garantir uma cidade ainda melhor para aqueles que virão. #CarnavalTurismoAraxá

 

Coluna #prontofalei publicada na edição nº 3752 do Correio de Araxá em 02 de março de 2019

 

This entry was posted in #prontofalei, Destaques. Bookmark the permalink.

Comments are closed.