#prontofalei – O bem de Araxá ou interesses pessoais?

Romeu Zema foi a grande surpresa das eleições do último domingo. O candidato araxaense atropelou o governador Fernando Pimentel e o senador Antônio Anastasia. Ele recebeu mais de quatro milhões de votos e terminou o primeiro turno da eleição para o Governo de Minas na liderança. Com apenas seis segundos na propaganda eleitoral no rádio e na TV e tendo participado somente do último debate entre os candidatos a governador, depois de alcançar 9% nas pesquisas, Romeu foi votado por 4.138.967 eleitores, o que corresponde a 42,73% dos votos válidos. Aliás, o bom desempenho do filho do empresário Ricardo Zema no debate da TV Globo foi um dos fatores que o fez superar os candidatos petista e tucano.

 

A votação de Romeu em Araxá foi sensacional. Ele obteve 43.613 votos em nossa cidade, que corresponde a 84,01% dos votos válidos. Nenhuma das grandes lideranças políticas de Araxá apoiou o candidato do Partido Novo. Quase todos apoiaram Antônio Anastasia, que perdeu até para o Pimentel aqui na cidade. Durante a campanha, Romeu Zema esteve na Câmara Municipal e se reuniu com alguns vereadores. Foi o único contato que ele teve com políticos araxaenses. Vamos ver agora qual será a postura das lideranças locais neste segundo turno em relação ao candidato de Araxá que está muito perto de ser eleito governador de Minas Gerais.

 

Ainda no domingo das eleições, o deputado estadual Bosco declarou o seu apoio para Romeu Zema no segundo turno. Bosco foi reeleito para o seu terceiro mandato na Assembleia de Minas. Porém, ele viu a sua votação em Araxá cair para 11.765 votos. No total, Bosco obteve 42.556 votos em todo o Estado. A vice-prefeita Lídia Jordão não foi eleita deputada estadual, mas conquistou o primeiro lugar em Araxá com 14.680 votos. No total, ela obteve 16.791 votos no Estado. A votação do médico Dr. Adriano Pimenta foi uma surpresa. Candidato a deputado estadual, ele conquistou 3.867 votos em Araxá e outros 20.824 votos em outras cidades, totalizando 24.691 votos.

 

Dr. Adriano ficou com a primeira suplência do Partido Novo, que elegeu três deputados estaduais. Como Romeu Zema, que é cunhado do médico, já declarou que não chamará nenhum deputado estadual ou federal para ocupar cargos em seu governo, a possibilidade do Dr. Adriano ocupar uma cadeira na Assembleia Legislativa é remota. A ex-vereadora Néia da Uninorte também foi candidata a deputada estadual e obteve 994 votos em Araxá e um total de 1.097 no Estado. Os números dos adversários de Bosco justificam em parte a queda na votação do deputado em nossa cidade.

 

Lídia, Dr. Adriano e Néia tiveram juntos 19.541 votos em Araxá. Na eleição de 2014, quando obteve 41.689 votos só em Araxá, Bosco foi praticamente candidato único e conseguiu conquistar 77,25% dos votos válidos no município. Nesta eleição o cenário mudou. Estranhamente o grupo político do qual Bosco fazia parte até o início do período eleitoral rachou. O deputado apoiou a reeleição do prefeito Aracely e da vice-prefeita Lídia em 2016. Segundo ele, ficou acordado naquela eleição que Aracely e Lídia apoiariam a sua candidatura agora em 2018, mas o acordo foi descumprido pelos atuais gestores da Administração Municipal.

 

Em entrevista nesta semana ao programa Diário na Volt, da Rádio Volt 87,9 FM, Bosco revelou uma interferência do deputado federal Mário Heringer na candidatura de Lídia Jordão. Ele disse que o presidente do partido da vice-prefeita, Fred Costa, lhe contou que Heringer o procurou para lhe pedir que Lídia fosse candidata a deputada estadual. Ela tinha se filiado para ser candidata a deputada federal, segundo a revelação de Bosco, mas Heringer interferiu para não ter que dividir votos com a vice-prefeita em Araxá. Bosco disse que o próprio Heringer lhe confirmou o pedido feito ao presidente do partido de Lídia Jordão para que ela fosse candidata a deputada estadual. Bosco e Lídia chegaram a conversar sobre uma dobradinha, onde ela seria candidata a deputada federal e ele a estadual.

 

Como todo mundo sabe, Mário Heringer teve o apoio do prefeito Aracely mais uma vez. Ele destinou algumas emendas parlamentares ao nosso município e anunciou às vésperas do período eleitoral um repasse de R$ 45 milhões do Governo Federal que ainda não se concretizou. Mesmo tirando Lídia do seu caminho, Heringer viu a sua votação cair em Araxá de 8.349 votos em 2014 para 6.906 no domingo passado. Ele foi reeleito. Todo esse cenário colocou em risco a cadeira da nossa cidade na Assembleia Legislativa. Por muito pouco não voltamos ao passado e ficamos novamente sem um representante no Legislativo mineiro. Os adversários do deputado Bosco exploraram bastante o voto dele a favor do aumento do ICMS durante a campanha, o que também contribuiu para a queda da sua votação.

 

Araxá continua sem eleger um deputado federal e terá que continuar a viver de migalhas dos parlamentares de outros municípios. O ex-vereador Mauro Chaves obteve 13.020 votos em Araxá e um total de 15.843 no Estado, uma votação bastante modesta para um candidato a deputado federal. Aliás, a campanha do Mauro foi bem tímida. Como candidato a prefeito, ele obteve 23 mil votos em 2016. O seu candidato a vice-prefeito na eleição passada, Pedrinho da Mata, também foi candidato a deputado federal e obteve 3.100 votos aqui em nossa cidade e um total de 5.141. Já Ricardo Zema Guimarães foi votado por 1.819 eleitores de Araxá e alcançou uma votação total de 12.095 votos, o que foi surpreendente pelos votos que ele obteve em outras cidades.

 

O eleitor de Araxá precisa analisar minuciosamente tudo o que aconteceu nessas eleições em relação aos candidatos locais e as suas respectivas votações. Será que todos eles estavam pensando no bem da nossa cidade ou alguns pensaram apenas em seus projetos pessoais? Todos queriam ser eleitos ou sabiam que não teriam chances e quiseram apenas se projetar para a eleição municipal de 2020? Todos têm o direito a ser candidato ao que quiserem, afinal vivemos em um país democrático. Porém, bons políticos colocam sempre o povo em primeiro lugar e não os seus próprios interesses. A nossa cidade já pagou caro por causa da vaidade dos seus políticos. Pensei que isso já tinha sido superado, mas pelo que vi nestas eleições me enganei. #Eleições2018

 

Coluna #prontofalei publicada na edição nº 3732 do Correio de Araxá em 13 de outubro de 2018

 

This entry was posted in #prontofalei, Destaques. Bookmark the permalink.

Comments are closed.