#prontofalei – Faixa de pedestres não é enfeite

No último final de semana tentei atravessar a avenida Vereador João Sena em uma faixa de pedestres existente em frente ao Pop Shop. Não foi uma tarefa fácil. Gesticulei com o braço para sinalizar aos condutores dos veículos a minha intenção de atravessar a via sobre a faixa. Essa sinalização é muito importante, pois os condutores precisam visualizar que alguém quer atravessar a via. Porém, não adiantou sinalizar. Os condutores não pararam. A maioria fingiu não ver a minha sinalização e continuou trafegando normalmente, como se não existisse ali um pedestre querendo atravessar.

 

Depois de alguns minutos de espera, um motorista consciente parou o seu veículo para que eu e as pessoas que estavam comigo pudéssemos atravessar a avenida. Esse episódio me deu a impressão de que grande parte dos motoristas de Araxá acha que a faixa de pedestres é apenas uma pintura que alguém fez para enfeitar o asfalto. Tem muito condutor “roda dura” que ainda precisa aprender que a faixa tem o objetivo de proporcionar segurança ao pedestre na travessia da via. Não é enfeite. Assim como não são enfeites as setas dos veículos, que muita gente teima em não usar aqui na cidade.

 

O pedestre é a parte mais frágil do trânsito. Todos os anos morrem cerca de seis mil pedestres atropelados no Brasil. A maioria das mortes é causada pelo desrespeito dos condutores de veículos com os pedestres. Esse desrespeito não deveria acontecer, afinal todas as pessoas são pedestres antes de serem motoristas. Infelizmente o desrespeito com os pedestres está presente no dia a dia do trânsito, inclusive aqui em Araxá. Recentemente uma pessoa foi atropelada na avenida Imbiara ao atravessar a via na faixa de pedestres existente em frente ao Colégio Dom Bosco.

 

Dar preferência ao pedestre é obrigação do motorista. Não é nenhum favor. Por isso é necessário inicialmente que os condutores entendam qual é a função da faixa de pedestres e redobrem a atenção ao se aproximarem delas para que possam visualizar se existe alguém sinalizando que quer atravessar a via. Se alguém sinalizar, o motorista deve parar e aguardar a travessia. E é importante também que o motorista acione o pisca-alerta ao parar seu veículo para os pedestres atravessarem na faixa, pois assim estará alertando os veículos que estão atrás dele sobre a sua parada.

 

Uma situação que requer uma atenção maior de motoristas e pedestres é quando existem faixas em semáforos. Nesta situação o semáforo é que determina de quem é a preferência. Se o sinal estiver aberto para os veículos, os pedestres não podem atravessar, mesmo existindo a faixa no local. É preciso aguardar o sinal fechar para os veículos e só depois fazer a travessia. Às vezes vejo as pessoas iniciando a travessia na faixa de pedestres com o sinal aberto para os veículos, achando que os motoristas têm a obrigação de parar. Nestes casos os pedestres estão errados.

 

Recentemente foram instalados semáforos na avenida Antônio Carlos, em pontos onde existiam apenas faixas de pedestres. E é ali que vejo os casos que citei de pessoas achando que a faixa sobrepõe o semáforo. Basta prestar atenção, pois também foram instalados semáforos para pedestres naquele local. É só o pedestre observar. Se o semáforo para pedestres estiver verde, atravesse. Se estiver vermelho, não atravesse. Simples assim. Agora, se um pedestre está atravessando no momento em que sinal abriu para os veículos, os motoristas têm que esperar que ele conclua a travessia.

 

Existem muitos motoristas engraçadinhos que param na faixa, mas ficam acelerando seus veículos enquanto os pedestres atravessam a via. O mesmo acontece quando os condutores estão parados nos semáforos, o sinal abre e os pedestres ainda não terminaram a travessia. Essa turma pode ser multada se for flagrada fazendo essa gracinha, que na verdade é uma ameaça aos pedestres. Está previsto no Código de Trânsito Brasileiro que assustar ou apressar um pedestre durante uma travessia já iniciada, independente do semáforo, acelerando ou avançando com o carro em sua direção é infração gravíssima.

 

As penalidades para os motoristas flagrados ameaçando pedestres que estejam atravessando a via são o pagamento de multa, o recolhimento da Carteira Nacional de Habilitação, a suspenção do direito de dirigir e a retenção do veículo. Portanto, é melhor quem gosta de fazer graça com os pedestres abrir o olho, pois as penalidades são severas. E lugar de palhaçada é no circo e não no trânsito. Existem motoristas que acham que pedestres são muito folgados, pois atravessam a faixa com lentidão. Não existe no Código de Trânsito Brasileiro nenhuma determinação de velocidade mínima para o pedestre atravessar a via. Portanto, o motorista tem que aprender a respeitar o tempo de cada pedestre, afinal cada um tem a sua maneira de caminhar.

 

Agora, o pedestre também tem que aprender que ele precisa ser visto antes de iniciar a travessia na faixa. É por isso que é preciso gesticular com o braço a intenção de atravessar a via. Ser visto é muito importante para a segurança dos pedestres. Iniciar a travessia de repente na faixa, sem sinalizar, achando que os motoristas terão que parar de qualquer jeito demonstra uma falta de inteligência que pode custar a vida. Assim como os motoristas, os pedestres também devem deixar o aparelho celular de lado ao atravessar a via para que a sua atenção esteja totalmente voltada para o trânsito.

 

O trânsito é um assunto que tem que ser debatido sempre. E para debater é preciso conhecer o assunto. Quem não entende nada de trânsito, mesmo fazendo parte dele como pedestre ou motorista, consequentemente não terá argumentos para debatê-lo e irá preferir fugir do assunto ou atacar quem pensa de forma diferente. Respeito. Essa é a palavra que tem que prevalecer no trânsito para que pedestres e motoristas tenham uma ótima convivência. #PedestreÉPrioridade

 

Coluna #prontofalei publicada na edição nº 3725 do Correio de Araxá em 25 de agosto de 2018

 

This entry was posted in #prontofalei, Destaques. Bookmark the permalink.

Comments are closed.