Câmara de Vereadores promove debate sobre demolição da Escola Francisco Braga

Foto: Ascom parlamentar.Câmara Municipal de Araxá promoveu ontem, dia 23, um Fórum Comunitário para debater a demolição da Escola Municipal Francisco Braga, no bairro Urciano Lemos e a transferência dos alunos para o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) Francisco Duarte. O vereador Robson Magela (PRB) foi o solicitante do fórum, que foi conduzido pelo vice-presidente Bosco Junior (AV). Pais de alunos da escola, vereadores e imprensa participaram do fórum.

 

A Escola Municipal Francisco Braga tem 43 anos de fundação e possui atualmente 198 alunos do maternal 1 e 2. A Prefeitura pretende demolir o prédio ocupado atualmente pela instituição de ensino para ampliação da Feira do Produtor. Enquanto a nova escola não é construída, os alunos serão transferidos para o CRAS.

 

Foto: Ascom parlamentar.Robson abriu o fórum manifestando sua insatisfação com o Executivo que não enviou nenhum representante da Secretaria de Educação para dar as respostas que os pais dos alunos buscam. Ele reforçou sua opinião de que considera descaso o fato de não terem, pelo menos, enviado uma justificativa do não comparecimento.

 

Foto: Ascom parlamentar.O parlamentar criticou o fato de a Prefeitura não ter ouvido a comunidade para falar a respeito da demolição da Escola: “O Executivo não deu opção para os pais que devem escolher entre mudar as crianças de Escola ou aceitar a transferência para o CRAS”, disse Robson. Na opinião dele, a solução seria primeiramente construir a nova sede para depois demolir o prédio, pois não se sabe quanto tempo essas crianças terão que estudar em local improvisado.

 

Foto: Ascom parlamentar.Os vereadores Raphael Rios (SD) e Roberto do Sindicato (SD) também criticaram a ausência do Executivo e demonstraram opinião contrária à demolição. Para Roberto o CRAS é um local inadequado, inseguro e apertado para abrigar uma Escola. Já Raphael alertou que as crianças tem prioridade garantida pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), portanto, deve-se pensar primeiramente nelas antes de tomar qualquer decisão.

 

Foto: Ascom parlamentar.Os pais e mães de alunos presentes também tiveram a oportunidade de expressar sua opinião.  Janaína Lopes afirmou que a decisão foi tomada sem pensar nas crianças que serão transferidas para um local perigoso e sem previsão para a construção de uma nova sede. Para Deisy Soares a maioria dos pais não está de acordo com a transferência, mas não tiveram escolha.

 

Foto: Ascom parlamentar.Com a ausência do Executivo para responder os questionamentos dos pais, Robson concluiu o fórum comunicando que vai elaborar um documento com as principais perguntas e convocar a Secretaria de Educação para respondê-las. O documento será encaminhado posteriormente aos pais dos alunos para que possam tomar conhecimento da situação.

 

Foto: Ascom parlamentar.

This entry was posted in Cidade, Destaques, Educação. Bookmark the permalink.

Comments are closed.