#prontofalei – Corrida eleitoral recheada de dúvidas em Minas Gerais

Imagem ilustrativa.A corrida eleitoral pelo Governo de Minas está a todo vapor. E recheada de dúvidas. Tem ex-governador sendo pressionado para ser candidato, tem deputado federal que mudou de partido para concorrer ao cargo de governador, tem ex-prefeito da capital mineira tentando aliança com o ex-presidente da Assembleia Legislativa para se manter no páreo, tem empresário araxaense correndo por fora e um governador desgastado que pode ficar fora das eleições. Ah, e agora tem também o atual presidente da Assembleia sendo lançado por um ex-governador muito conhecido dos mineiros pelos inúmeros processos judiciais que acumulou durante a vida pública.

 

Com Aécio Neves mergulhado na lama da corrupção e sem nenhum nome de peso para concorrer ao Governo do Estado, o PSDB está pressionando o ex-governador Antônio Anastasia para que ele seja o seu candidato. Anastasia é respeitado pelos mineiros, mas o grande problema dele será carregar nas costas o peso indesejável do seu padrinho Aécio. Nesta semana a procuradora geral da República, Raquel Dodge, reiterou ao Supremo Tribunal Federal (STF) a denúncia por corrupção passiva e obstrução de Justiça apresentada contra Aécio, que foi flagrado pedindo R$ 2 milhões para Joesley Batista, o famoso empresário comprador de políticos corruptos.

 

Anastasia já disse que aceita pensar sobre a candidatura, pois também é pressionado pela executiva nacional do PSDB, que quer um palanque forte para o presidenciável Geraldo Alckmin em Minas Gerais. Antes do ex-governador dizer que pensaria no assunto, o deputado Rodrigo Pacheco pulou do MDB para o DEM para ser o candidato das viúvas de Aécio ao Governo do Estado. Agora, se Anastasia for mesmo candidato, Pacheco receberá como prêmio de consolação uma candidatura ao Senado Federal. Já Márcio Lacerda, ex-prefeito de Belo Horizonte eleito com o apoio conjunto de Aécio Neves e Fernando Pimentel, continua firme em sua pré-campanha.

 

Os planos de Lacerda podem ser prejudicados com a candidatura de Anastasia, pois hoje ambos estão na oposição, e por isso ele tenta uma aliança com o ex-presidente da Assembleia Legislativa, Dinis Pinheiro, que recentemente saiu do PP e se filiou ao Solidariedade. Dinis também estava em pré-campanha ao Governo de Minas, mas como Lacerda apareceu melhor colocado em pesquisas realizadas no fim de 2017, ele se aproximou do ex-prefeito. Existem duas opções para Dinis na chapa de Lacerda. Ele pode ser candidato a senador ou vice-governador, sendo que a primeira opção é a que mais o agrada neste momento. Mas para valorizar o passe, Dinis ainda vai continuar dizendo que é pré-candidato a governador.

 

O empresário araxaense Romeu Zema, considerado o azarão da disputa, continua sua peregrinação pelo estado para divulgar a sua pré-candidatura e apresentar as ideias do Partido Novo. A intenção é surpreender os favoritos, se é que existe favoritismo nas eleições deste ano. Porém, assim como o empresário João Amoêdo, que é o presidenciável do Novo, Romeu terá trabalho para retirar o rótulo de candidato do empresariado ou dos patrões. Esse rótulo afasta boa parte do eleitorado. Romeu tem até o dia 7 de outubro para convencer o povo de Minas que a melhor opção é um empresário de sucesso que até agora não era político.

 

Já o atual governador Fernando Pimentel parece estar caindo em si. Responsável por um dos piores governos que Minas Gerais já teve, o petista já dá mostras de que não pretende se candidatar à reeleição. Seria uma decisão sensata, afinal a rejeição do governador é altíssima. E ele ainda não seria exposto ao ridículo como presidente-tampão Michel Temer, que mostrou ser totalmente sem noção ao demonstrar a sua intenção de concorrer à reeleição. O plano de Pimentel seria uma candidatura ao Senado Federal, pois como está encrencado com a Justiça precisa manter o foro privilegiado. Porém, como o Supremo Tribunal Federal (STF) deve restringir o foro, o petista pode desistir de ser candidato a qualquer cargo eletivo neste ano.

 

A novidade da semana foi o lançamento da candidatura ao Governo de Minas do atual presidente da Assembleia Legislativa, Adalclever Lopes, do MDB. O nome dele foi lançado por uma das piores figuras da política mineira, o ex-governador Newton Cardoso. Resta saber se não é mais uma falácia de Newtão, como tantas que marcaram sua passagem por cargos eletivos. O atual vice-governador Antônio Andrade, presidente estadual do MDB e rompido com Pimentel, também quer ser o candidato do partido. Ainda tem muita água para passar debaixo da ponte até outubro, mas será que os eleitores simpatizaram com algum dos nomes colocados até agora como candidatos a governador? Tenho minhas dúvidas. #Eleições2018

 

Coluna #prontofalei publicada na edição nº 3704 do Correio de Araxá em 31 de março de 2018

 

Foto: Reprodução/Correio de Araxá.

This entry was posted in #prontofalei, Destaques. Bookmark the permalink.

Comments are closed.