#prontofalei – Os pré-candidatos de Araxá

Imagem ilustrativa.Os brasileiros elegerão neste ano o presidente da República, governadores, senadores e deputados federais, estaduais e distritais. Será a grande oportunidade que a população terá para fazer, através do voto, as mudanças tão reivindicadas por todos na política. O voto dá ao povo o poder de acabar com os governos que não cumprem com as suas obrigações e de demitir deputados e senadores que votam a favor dos poderosos e dos corruptos ignorando a vontade popular. Político que só pensa no próprio umbigo e não está nem aí para o povo não merece o voto de ninguém.

 

Araxá não ficará de fora das eleições gerais que acontecem em outubro. A cidade já tem três pré-candidatos definidos. O deputado estadual Bosco tentará a reeleição para o seu terceiro mandato na Assembleia Legislativa. Já o ex-vereador Mauro Chaves anunciou que é pré-candidato a deputado federal. O empresário Romeu Zema vai concorrer ao Governo de Minas. Existem ainda especulações sobre outros nomes, de políticos e de estreantes, que podem concorrer aos cargos de deputado federal e estadual neste ano. Porém, tudo não passa de especulação até o momento.

 

Ocupando uma cadeira na Assembleia Legislativa desde 2011, quando Araxá recuperou o seu espaço no parlamento mineiro, o deputado Bosco decidiu tentar a reeleição. Como a grande maioria dos 513 deputados federais está totalmente desacreditada pelas posturas nocivas à população que a Câmara teve nos últimos tempos, muitos entendem que seria o momento ideal para o deputado Bosco tentar recuperar a cadeira de Araxá em Brasília, que foi ocupada por 24 anos pelo prefeito Aracely de Paula. Já são quatro anos sem um deputado federal da nossa cidade.

 

Bosco considerou essa possibilidade de se candidatar a deputado federal, mas questões partidárias e o bom trânsito que ele conquistou na Assembleia de Minas o fizeram decidir pela reeleição. O deputado é bem avaliado pelos araxaenses. As críticas mais ásperas feitas ao deputado nas redes sociais são mais por motivação política do que propriamente pelo trabalho que ele realiza em Belo Horizonte. O desafio de Bosco será manter os 41.689 votos obtidos em Araxá nas eleições de 2014, afinal existe o desgaste natural que todo mandato traz ao seu detentor.

 

A tarefa de tentar recuperar a cadeira de Araxá na Câmara dos Deputados será do ex-vereador Mauro, que foi candidato a prefeito em 2016 obtendo 23.216 votos. A pré-candidatura dele a deputado federal mostra uma postura diferente daquelas que a cidade já viu até agora. Mauro não quis se candidatar a deputado estadual, como muitos do seu grupo político queriam, para não prejudicar Araxá. A nossa cidade ainda não tem votos para eleger dois deputados estaduais e se Mauro fosse candidato certamente tiraria bastante votos do deputado Bosco. Com isso, a cidade correria o sério risco de perder a cadeira na Assembleia Legislativa.

 

Bosco apoiou a candidatura do prefeito Aracely na eleição municipal de 2016. Aracely derrotou Mauro. Outros políticos no lugar do Mauro tentariam prejudicar a reeleição de Bosco por causa disso. Porém, Mauro colocou a cidade em primeiro lugar e deixou as rivalidades políticas de lado. Isso conta pontos a seu favor. Candidatura a deputado federal não é fácil e Mauro precisará de votos de fora para se eleger. Como policial civil aposentado, ele tem participado de reuniões com representantes da categoria na tentativa de obter apoios para a sua pré-candidatura. Depois de não ter candidato a deputado federal nas eleições de 2014, Araxá voltará a ter um e isso é importante, pois uma cidade com mais de 100 mil habitantes tem que ter representatividade.

 

O grande adversário de Mauro em Araxá será um deputado federal da cidade mineira de Manhumirim. Apoiado pelo prefeito Aracely, o deputado Mário Heringer vai tentar conquistar mais do que os 8.349 que obteve aqui na cidade em 2014. Ele destinou algumas emendas parlamentares para Araxá e isto será bastante explorado durante a campanha. Mauro e Heringer disputarão muitos votos em Araxá, já que Marcos Montes, Aelton Freitas, Carlos Melles, Zé Silva, Caio Nárcio, Diego Andrade e Luis Tibé não fizeram nada pela cidade, apesar de terem sido bem votados aqui, e agora verão suas votações despencarem merecidamente.

 

Já a pré-candidatura do empresário Romeu Zema a governador de Minas Gerais é uma briga de Davi contra Golias. O atual momento de descrédito do povo na classe política e o péssimo governo do petista Fernando Pimentel contam a favor de Romeu, que tem um sobrenome conhecido em todo o estado. Com Aécio Neves queimado e Antônio Anastasia fora do jogo, a atual oposição estadual está dividida em três nomes: Dinis Pinheiro, Márcio Lacerda e Rodrigo Pacheco, que vai abandonar o governista MDB para um partido oposicionista. Isso também pode favorecer um outsider como Romeu, que é uma novidade como foram Alexandre Kalil e João Dória na eleição municipal de 2016.

 

O grande problema de Romeu é que o partido dele, o Novo, já nasceu estigmatizado como um “partido de ricos”, já que a legenda é uma iniciativa do empresariado brasileiro. Essa é uma barreira que ele e todos os candidatos do Novo terão que transpor nas eleições deste ano. Romeu terá muito trabalho pela frente nesta luta contra os poderosos do estado. Vamos aguardar para ver se ele terá o apoio dos seus conterrâneos nessa árdua batalha. O ano está apenas começando. Por isso, é preciso que os eleitores já comecem a pesquisar a vida dos pré-candidatos de sua preferência para votar com responsabilidade. Tomara que o povo seja o grande vitorioso nas eleições deste ano. #Eleições2018

 

Coluna #prontofalei publicada na edição nº 3696 do Correio de Araxá em 03 de fevereiro de 2018

 

Foto: Reprodução/Correio de Araxá.

This entry was posted in #prontofalei, Destaques. Bookmark the permalink.

Comments are closed.