#prontofalei – Escolas públicas ainda estão no século 20

Imagem ilustrativa.Quem visitar no mesmo dia duas escolas no Brasil, sendo uma pública e outra privada, certamente pensará que esteve em dois países diferentes. Enquanto as escolas particulares já estão há anos no século 21, as públicas ainda caminham lentamente para sair do século 20. A diferença da tecnologia disponível para ser aplicada no aprendizado dos alunos é enorme.

 

A falta de políticas públicas no país que permitissem a implantação do uso de tecnologias para fins pedagógicos na rede pública de ensino criou um verdadeiro abismo entre escolas públicas e privadas. Mais preocupados em se manter no poder do que em formar uma nação de cidadãos preparados para contribuir com o crescimento do país, por meio de seus conhecimentos, os governantes não investiram no ensino público nas últimas décadas.

 

O resultado dessa falta de investimentos é que as escolas públicas ainda não estão no terceiro milênio. É preciso agir com urgência para corrigir um erro de décadas que tira a chance de milhões de crianças e jovens de ter um futuro melhor. O primeiro passo é investir na aquisição da tecnologia necessária para tornar o ambiente escolar agradável para alunos já acostumados com aparelhos tecnológicos que os fazem ficar conectados com o mundo virtual diariamente.

 

Em seguida é necessário capacitar os professores para que o uso da tecnologia seja aproveitado pelo aluno da melhor maneira possível. Ter uma conexão rápida de internet é primordial. Disponibilizar recursos para a manutenção de todos os equipamentos é essencial para evitar estragos que prejudiquem os alunos. E, claro, nunca deixar de investir, pois a tecnologia sempre avança.

 

O Brasil precisa voltar a ter orgulho das suas escolas públicas. Casos como o da mãe de classe média que, diante da crise, está apavorada com a possibilidade de transferir o filho de uma escola particular para uma pública não podem mais existir. Colocar as escolas públicas no século 21 tem que ser o item número um dos planos de governo dos políticos que serão candidatos nas eleições de 2018. Recursos para a educação não são gastos e sim investimentos. Somente por meio da educação é que este país conseguirá ser, de fato, uma grande nação. #InvestirNaEducação

 

Coluna #prontofalei publicada na edição nº 3689 do Correio de Araxá em 16 de dezembro de 2017

 

Foto: Reprodução/Correio de Araxá.

This entry was posted in #prontofalei, Destaques. Bookmark the permalink.

Comments are closed.