Emendas do vereador Robson Magela ao orçamento são reprovadas

Robson Magela. Foto: Ascom parlamentar.As quatro emendas individuais apresentadas pelo vereador Robson Magela (PRB) ao projeto da Lei Orçamentária Anual de 2018 foram reprovadas na reunião extraordinária realizada na Câmara Municipal na última sexta-feira, dia 8. A emendas contemplavam as áreas de saúde e educação. O orçamento de R$ 365 milhões para o ano que vem foi aprovado pelo Legislativo, mas Robson Magela votou contra o projeto por não concordar com a suplementação orçamentária de 25% que dará ao prefeito Aracely de Paula a possibilidade de remanejar R$ 91 milhões sem consultar os vereadores.

 

 

A votação da Lei Orçamentária Anual contou com a presença de 13 vereadores, pois Roberto do Sindicato (SD), com problemas de saúde, e Raphael Rios (SD), que foi submetido a uma cirurgia para retirada de cálculo renal, não compareceram. Antes da votação do orçamento, os vereadores aprovaram por unanimidade o projeto do Plano Plurianual (PPA) de ações do município de Araxá para o quadriênio de 2018 a 2021.

 

 

Em seguida foram votadas as emendas apresentadas ao orçamento. As emendas de Robson Magela que destinavam recursos para a construção de escola, creche e Unidade Básica de Saúde (UBS) para atender os moradores dos bairros Villa Verde, Villa Mayor e Jardim das Oliveiras foram reprovadas por 9 a 3. Além de Robson, os vereadores Ceará da Padaria (PMB) e Fernanda Castelha (PSL) também votaram a favor dessas emendas.

 

 

Já a emenda que destinava recursos para a implantação do Programa Especial de Atenção Coronariana, que disponibilizaria para a população de Araxá a realização de cateterismo, angioplastia e colocação de stent custeados pelo município, foi reprovada por 6 a 5, sendo que Robson, Ceará, Fernanda, Hudson Fiuza (PSL) e Zezinho da Aserpa (PT) votaram favoravelmente.

 

 

“Elaborei essas emendas após percorrer todos os setores de Araxá com o Gabinete Itinerante. São emendas que visavam melhorar a saúde pública em nossa cidade e disponibilizar equipamentos públicos para uma região que está completamente abandonada pela Administração Municipal. Araxá perde muito com a reprovação dessas emendas, pois o objetivo delas era garantir recursos para áreas que têm que ser prioridades para qualquer governo”, disse Robson.

 

 

A Lei Orçamentária Anual foi aprovada por 9 a 3 com uma suplementação orçamentária de 25% para 2018. Os votos contrários foram de Robson, Ceará e Fernanda. “Não tem como votar a favor de uma lei que dá ao prefeito o direito de mexer como quiser no orçamento até o valor de R$ 91 milhões sem a aprovação desta Casa de Leis. Eu e os vereadores Ceará, Fernanda, Raphael e Roberto propusemos uma suplementação de 10% para não engessar a administração, mas a nossa emenda coletiva também foi reprovada. Com 25%, o prefeito pode fazer obras contestadas pela população sem pedir a autorização dos vereadores. Isso é muito ruim, pois o povo e seus representantes não serão ouvidos”, afirma Robson.

 

Fonte: Ascom Câmara Municipal

This entry was posted in +, Cidade, Destaques, Política. Bookmark the permalink.

Comments are closed.