#prontofalei – Desinformação gera desinformação

Imagem ilustrativa.Outro dia vi um post em uma rede social que me chamou a atenção. Uma senhora escreveu que estaria tramitando na Câmara Municipal de Araxá um projeto que obrigaria a população a contribuir com R$ 40 por mês para a Santa Casa de Misericórdia e que essa cobrança seria feita na conta de água emitida pela Copasa. Ela também escreveu que “é sabido que a Santa Casa é de responsabilidade do município” e “se aceitarmos estaremos contribuindo para mais uma roubalheira”. O post da tal senhora teve curtidas, comentários e compartilhamentos.

 

O que me chamou a atenção foi a desinformação contida no post e como as pessoas gostam de falar do que não fazem a menor ideia nas redes sociais. Não existe nenhum projeto na Câmara Municipal para colocar uma cobrança de R$ 40 na conta de água dos araxaenses. Se algum vereador tivesse a ideia de jerico de apresentar um projeto desse, o mesmo não seria nem votado no Legislativo, pois trata-se de um texto inconstitucional. Nenhum legislador pode obrigar um cidadão a ajudar uma entidade com uma contribuição mensal contra a vontade dele.

 

O que aconteceu foi que o vereador Fárley Cabeleireiro apresentou na tribuna da Câmara um projeto desenvolvido pela Santa Casa, em parceria com o seu gabinete, denominado “Solidariedágua”, que consiste na pessoa autorizar espontaneamente uma cobrança na conta de água da Copasa, que varia de R$ 5 a R$ 40, para colaborar com o custeio do hospital. Só isso. Não existe nada de projeto tramitando para obrigar alguma cobrança. A autora do post deve ter ouvido alguém comentando sobre isso em algum lugar da cidade, tirou as suas próprias conclusões e escreveu besteira na rede social.

 

Outro equívoco da “indignada do Facebook” é quando ela afirma que a Santa Casa é de responsabilidade do município. Não é. A Santa Casa não é um hospital municipal. Trata-se de uma entidade filantrópica, de utilidade pública e sem fins lucrativos, que tem uma Mesa Administrativa e um Conselho Fiscal compostos por associados da sua Assembleia Geral. A Santa Casa atende não só a demanda de Araxá, mas também de mais sete cidades da nossa microrregião: Campos Altos, Ibiá, Pedrinópolis, Tapira, Perdizes, Santa Juliana e Pratinha.

 

Como é um hospital que sempre enfrenta dificuldades financeiras, já que a tabela paga pelo SUS está defasada há anos, a Prefeitura de Araxá colabora com o hospital repassando recursos e pagando plantões médicos. A Administração Municipal tem que ajudar o hospital mesmo, pois é ali que está concentrada a maior parte de atendimento da população pela rede pública de saúde. Mas daí a afirmar que o hospital é de responsabilidade do município existe um abismo enorme de desinformação, mesmo porque a Prefeitura também contribui com o Hospital Casa do Caminho.

 

É de uma maldade sem tamanho afirmar que ajudar a Santa Casa é contribuir “para mais uma roubalheira”. Todo mundo sabe o que aconteceu em 2015, quando a Polícia Civil descobriu o desvio de dinheiro público no hospital envolvendo políticos e diretores. Porém, tudo foi devidamente apurado, os acusados serão julgados pela Justiça e a Santa Casa foi ressarcida dos prejuízos causados pelo crime. De lá pra cá, a Santa Casa ganhou uma nova diretoria que está empenhada em oferecer atendimento de qualidade para a nossa população. Hoje o hospital é administrado por pessoas sérias.

 

A Santa Casa precisa de ajuda sim, tanto do poder público como da iniciativa privada. O hospital é um patrimônio de Araxá e merece todo o nosso carinho e respeito. Ao invés de tentar denegrir a imagem dessa instituição, as pessoas deveriam usar as redes sociais para conscientizar a população da importância do hospital para a nossa cidade. Sou um fervoroso defensor da liberdade de expressão, mas é preciso ter responsabilidade para não divulgar mentiras e causar intrigas. Desinformação gera desinformação.

 

Rede social não é brincadeira. Quem não se lembra da dona de casa que morreu após ser linchada por moradores de Guarujá, no litoral paulista, após um boato se espalhar no Facebook afirmando que ela sequestrava crianças para utilizá-las em rituais de magia negra? O mau uso das redes sociais causou esse assassinato. Muitas pessoas nos conhecem pelo que postamos nas redes sociais. É preciso estar por dentro dos assuntos para não passar atestado de alienado e sair espalhando asneiras pelo mundo virtual. E é claro que existem também os maldosos que fazem questão de espalhar mentiras para atacar alguém. Infelizmente veremos muito dessa maldade em 2018, que é ano eleitoral. #CuidadoNasRedesSociais

 

Coluna #prontofalei publicada na edição nº 3687 do Correio de Araxá em 02 de dezembro de 2017

 

Foto: Reprodução/Correio de Araxá.

This entry was posted in #prontofalei, Destaques. Bookmark the permalink.

Comments are closed.