Coluna Nilton Ribeiro – Dicas de cuidados com os pés e a postura ao caminhar

Imagem ilustrativa.Para caminhar é sempre importante prestar atenção ao jeito de andar e a sua postura. A forma de carregar bolsas e mochilas ao longo do dia, também serve para nos alertar quanto ao jeito correto de caminhar, e também como maneira de evitar dores e lesões maiores. A parte do corpo que sustenta a caminhada são os pés. O ideal é apoiar todo o pé na hora de pisar, para trabalhar toda a articulação.

 

 

Evite pisar com a ponta do pé e dar pisadas muito fortes no chão. O correto é primeiro aterrissar o pé no solo com o calcanhar e depois aterrissar a planta do pé. É importante rolar a pisada no sentido calcanhar, arco e dedos, complementando sempre essa seqüência antes de mudar para o próximo passo.

 

 

Passos largos não são recomendados. Há o perigo de cair e o risco de torções. Se alguém quiser andar mais rápido, deve dar passadas curtas, com um intervalo de tempo menor.

 

 

Para algumas pessoas, no entanto, esse movimento pode não ser tão simples e pode surgir uma dor na sola do pé. Essa dor, chamada de fascite ou fasceíte plantar, pode atrapalhar bastante o dia a dia. Ela é uma dor comum e acontece quando há uma inflamação da fáscia plantar, estrutura que começa no osso do calcanhar e se estende até a base dos dedos. Para tratar, as opções são a fisioterapia e medicamentos.

 

 

Outro fator que pode atrapalhar a caminhada é o que os médicos chamam de “pé equino”, quando o paciente anda na ponta dos pés. O problema é mais comum nas crianças, não porque elas têm alguma limitação nos pés, mas porque se acostumam com essa pisada. No entanto, se a criança não conseguir mesmo encostar os calcanhares no chão, pode ser um problema de encurtamento do tendão calcâneo, o que pode exigir cirurgia.

 

 

Se o calçado não for apropriado, ele não amortecerá bem o chão, podendo causar dores nas costas e na canela. O tênis é a melhor opção, mas se for apertado, pode contribuir para o aparecimento de bolhas nos pés.

 

Imagem ilustrativa.

 

 

Quando falamos sobre caminhar, os pés, não são a única parte do corpo que devemos ter cuidado, mas também, as costas, por exemplo. A postura é um detalhe importante na caminhada. É preciso caminhar como se estivesse olhando 20 metros à frente, com a cabeça na altura dos ombros, contraindo o abdômen e alternando entre os pés e os braços. Quando o pé direito vai à frente, o braço esquerdo vai também e vice-versa.

 

 

Para proteger a coluna, o abdômen deve estar contraído, estável e ereto. Esse movimento permite também apontar o cóccix (ossinho no final da coluna) em direção ao chão, alinhando a coluna vertebral.

 

 

A postura ideal para a caminhada é: tronco ereto, cabeça centrada nos ombros olhando para frente em linha reta, braços e antebraços levemente flexionados ao longo do corpo, acompanhando o movimento da passada alternadamente para dar equilíbrio, e ombros relaxados para trás. Evite incliná-los para frente ou para os lados. O tórax deve ficar em posição normal, sem desvios para frente ou para trás.

 

 

Os braços devem estar para baixo, levemente dobrados. O balanço dos braços durante a caminhada deve ser natural e suave.

 

 

Nas mãos, o ideal é agir como se tivesse segurando uma borboleta. A idéia é não apertá-las, para não esmagar a borboleta, nem abri-las demais para não deixar a borboleta fugir.

 

 

Procure evitar dobrar ou esticar demais os cotovelos. Dessa forma, o peso e a sobrecarga do impacto são mais bem distribuídos pela coluna vertebral, melhorando o desempenho da caminhada e evitando dores nas costas, no pescoço e nos membros superiores.

 

 

Ao usar bolsas, o ideal é revezar o ombro e encurtar a alça. Já as mochilas devem ter 10% do peso da pessoa que a carrega, especialmente as crianças, e é preciso sempre utilizar as duas alças da mochila. Para as mulheres, a dica é evitar o uso de sapatos muito altos todos os dias e preferir saltos menores.

 

 

Apesar de cada uma ter o seu jeito particular de caminhar, o movimento sempre segue a mesma sequência…

 

 

Nilton Ribeiro JúniorNilton Ribeiro. Foto: Divulgação.

Fisioterapeuta pediátrico no Centro de Atendimento a Criança (CAC). 

Fisioterapeuta responsável pelo GEPE (Grupo de Estimulação Precoce Essencial) e pela avaliação Neuropsicomotora e acompanhamento de bebês de risco. 

Fisioterapeuta no Centro de Especialização e Reabilitação de Araxá-MG/APAE (CER)

This entry was posted in +, Nilton Ribeiro. Bookmark the permalink.

Comments are closed.