#prontofalei – Qual será o futuro do senhor ex-presidente?

Lula. Foto: Divulgação.O depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao juiz federal Sérgio Moro foi o principal assunto desta semana em todo o país. O petista é acusado de receber propina da empreiteira OAS para beneficiá-la em contratos com a Petrobras. Um apartamento tríplex localizado no Guarujá, no litoral paulista, faria parte dessa propina. Lula foi denunciado pelo Ministério Público por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O depoimento durou cinco horas. Lula foi tratado o tempo todo por “senhor ex-presidente” pelo juiz Moro.

 

 

Na véspera do depoimento, o Movimento Brasil Livre (MBL) convocou uma vigília em apoio à Operação Lava Jato em 54 cidades de todas regiões do país, entre elas Araxá. Pelas fotos divulgadas nas redes sociais, a vigília que foi realizada no pátio da Igreja Matriz de São Domingos teve pouca adesão. Já em Curitiba, no dia do depoimento, quase não se viu apoiadores da Lava Jato, pois Sérgio Moro havia pedido que eles não fossem às ruas se manifestar naquela data. O juiz, acertadamente, quis evitar qualquer tipo de confronto com os apoiadores do ex-presidente petista.

 

 

E teve muita gente de outras regiões do Brasil que foi para Curitiba só para apoiar Lula, em uma ação orquestrada pelo Partido dos Trabalhadores, centrais sindicais e Movimento dos Sem Terra (MST). Lula, como sempre, negou tudo. Disse que o tríplex não é dele e que não sabia de nada. E jogou qualquer responsabilidade sobre a negociação para a compra do tríplex, que segundo ele não se concretizou, nas costas de Dona Marisa, a sua falecida esposa. Ele também caiu em contradições e em alguns momentos quis fazer do depoimento um palanque político, já visando as eleições de 2018.

 

 

Lula fez muito bem o que sabe fazer, que é papel de vítima. E fez aquele velho e cansativo discurso de que é perseguido pela imprensa. Ele não perdeu nenhuma oportunidade que teve para atacar o Ministério Público. O ex-presidente é muito bom de lábia, mas teve pela frente um juiz sereno e bastante focado, que não se deixou levar pela sua conversa mole. Após a divulgação do vídeo contendo a íntegra do depoimento, coxinhas e petralhas invadiram as redes sociais para defenderem as suas convicções e, claro, trocarem ofensas.

 

 

A visão que tenho sobre Lula só piorou após o depoimento. Como um senhor de 71 anos que foi eleito democraticamente por duas vezes para ser o presidente do Brasil se presta ao melancólico papel de jogar qualquer responsabilidade sobre o tal tríplex na esposa falecida que o acompanhou por uma vida inteira? Que homem é esse que não está nem aí com a imagem da mãe dos seus filhos?  Como definir um sujeito que usa uma pessoa morta para tentar se safar de uma condenação criminal? Lula mostrou ser um homem muito pior do que eu imaginava.

 

 

É preocupante saber que é esse cidadão que lidera as pesquisas de intenção de voto para a Presidência da República. O alívio é a alta rejeição que o petista tem, o que pode inviabilizar uma vitória no 2º turno. Ele só perde em rejeição para o presidente-tampão Michel Temer e está empatado com o senador mineiro Aécio Neves. O grande problema mesmo é que por enquanto nenhum adversário de Lula empolga. Os tucanos estão cada vez mais em baixa, a não ser o prefeito paulistano João Dória, que segue sendo uma incógnita. Já um filhote da ditadura militar, que nem merece ter o nome citado aqui, vem crescendo nas pesquisas, o que mostra o desespero do eleitorado brasileiro diante da total falta de opção.

 

 

Como já afirmei na coluna de 11 de março deste ano, quando tratei da sucessão presidencial, o Brasil está no mato sem cachorro. Existe um agravante nisso tudo que pode beneficiar a candidatura de Lula, no caso dele escapar da cadeia. As reformas trabalhista e da Previdência são altamente favoráveis à candidatura do petista. Pesquisas mostram que 71% dos brasileiros são contra essas reformas e provavelmente não votarão em quem as apoia. Lula pode adotar o discurso de que vai rever essas reformas que prejudicam o trabalhador brasileiro. Se ele vai revê-las mesmo após de eleito é outra história.

 

 

Paulo Maluf, ex-governador de São Paulo, era conhecido como o político que “rouba, mas faz”. Apesar de ser alvo de várias denúncias de corrupção, ele sempre era eleito para algum cargo. Será que estamos diante de um novo Maluf? De um “Lulaluf”? Aquele que “é corrupto, mas faz pelos pobres”. As camadas mais humildes da população, que foram as mais atingidas pela crise e serão as mais prejudicadas com as reformas, parecem não se importar com as denúncias contra Lula. Provavelmente essa parcela de brasileiros se lembrará é do Bolsa Família na hora de votar.   

 

 

Apesar de nada na política ser definitivo, hoje podemos afirmar que existem cartas fora do baralho para a eleição presidencial do ano novo. Michel Temer e Aécio Neves são dois exemplos disso. Mas, ninguém pode afirmar ainda qual será o futuro de Lula. Na cadeia? Curtindo a aposentadoria em algum sítio por aí? Ou exercendo o terceiro mandato de presidente da República? Para o bem do Brasil, o melhor é tê-lo bem longe da Presidência da República. Porém, a falta de adversários, o pacote de maldades do presidente-tampão Temer e os programas de benefícios sociais podem fazer com que Lula suba a rampa do Planalto novamente. Aí vai ser um Deus nos acuda. #LulaNão

 

Coluna #prontofalei publicada na edição nº 3658 do Correio de Araxá em 13 de maio de 2017

 

Foto: Reprodução/Correio de Araxá.

This entry was posted in #prontofalei, Destaques, Opinião. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *