PAM prioriza atendimento conforme o risco clínico do paciente

Foto: Ascom PMA.A Prefeitura de Araxá, por meio da Secretaria de Saúde, utiliza um importante procedimento para os atendimentos do Pronto Atendimento Municipal (PAM), sendo este o Protocolo Manchester de Classificação de Risco. Este protocolo tem como objetivo principal priorizar o atendimento do paciente conforme seu risco clínico e não por ordem de chegada.

 

Além do aprimoramento do atendimento no PAM, o Protocolo Manchester de Classificação de Risco impacta na otimização dos fluxos assistenciais e no processo de organização do cuidado por risco clínico.

 

Cinco cores classificam a gravidade do assistido pela saúde pública de Araxá. A vermelha (emergência) corresponde à necessidade de atendimento imediato; a laranja (muito urgente), é o atendimento praticamente imediato; a amarela (urgente), significa o atendimento rápido, mas pode aguardar; a verde (pouco urgente) e a azul (não urgente), ambas podem aguardar atendimento ou serem encaminhados para outros serviços de saúde.

 

Divulgação.

 

A coordenadora do PAM Samira Alessandra dos Reis, disse que o Protocolo de Manchester prioriza realmente o atendimento ao paciente mais grave. “Esse protocolo foi criado na Inglaterra e é o modelo de determinação do Ministério da Saúde”, destacou a coordenadora.

 

Em média, 350 atendimentos são feitos diariamente no PAM por meio desse protocolo. Samira conta que, quando o paciente chega ao Pronto Atendimento Municipal, primeiro é realizado uma triagem para determinar qual cor da pulseira correspondente a gravidade do paciente.

 

São quatro enfermeiros que se revezam em plantões médicos responsáveis por esse procedimento que antecede ao atendimento do profissional especializado na área da saúde.

This entry was posted in Brasil, Destaques, Saúde. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *