Sindicato estuda projeto de iniciativa popular para propor redução dos salários do prefeito Jeová, vice, secretários e vereadores

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Araxá e Região (Sinplalto) está estudando a possibilidade de elaborar um projeto de iniciativa popular para enviar à Câmara Municipal que certamente vai causar uma grande polêmica em toda a cidade. Esse projeto vai propor a redução dos salários dos agentes políticos de Araxá, que são o prefeito Jeová (PDT), a vice-prefeita Edna Castro (PSDB), os secretários municipais e os vereadores. O motivo para a elaboração desse projeto é que a Prefeitura de Araxá alega dificuldades financeiras para conceder o reajuste salarial solicitado pelo sindicato e demais entidades representativas dos servidores públicos municipais. Pelo que entendi, se não tem dinheiro para os servidores, então que diminua o salário de quem ganha muitíssimo bem.


Os salários dos agentes políticos de Araxá são: prefeito Jeová: R$ 20 mil / vice-prefeita Edna Castro: R$ 15 mil / secretários municipais: R$ 12,5 mil / Vereadores: R$ 8.016,34. Já a grande maioria dos servidores públicos da Prefeitura de Araxá ganha um salário mínimo, que é de R$ 678. Até onde sei, são necessárias três mil e oitocentas assinaturas de pessoas com domicílio eleitoral em Araxá para que se apresente um projeto de iniciativa popular na Câmara Municipal. Só para exemplificar, a Lei da Ficha Limpa nasceu de um projeto de iniciativa popular apresentado no Congresso Nacional. Se o sindicato realmente tiver a intenção de elaborar esse projeto propondo a redução dos salários dos agentes políticos, acredito que não haverá dificuldades em colher as assinaturas necessárias.


Ontem à tarde, representantes do Sinplalto, da Associação dos Servidores da Prefeitura e Câmara do Município de Araxá (Aserpa) e da Cooperativa de Consumo dos Servidores da Prefeitura de Araxá (Cosprema) se reuniram com o secretário municipal de Planejamento e Gestão, Alex Ribeiro Gomes. Os vereadores Marcílio da Prefeitura (PT) e Romário do Picolé (PT do B) também participaram da reunião. Nada foi decidido nessa reunião, mas a Administração Municipal se comprometeu a apresentar uma proposta concreta de reajuste do cartão alimentação, de recomposição salarial para o quadro geral de servidores e de um reajuste salarial para os profissionais da rede municipal de educação até o próximo dia 26. Essa proposta será analisada pelos servidores públicos municipais em uma Assembleia Geral Unificada que já está marcada para o dia 30 deste mês.


This entry was posted in Cidade. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *